Mamãe enquanto dermatologista.


Das afrontas à minha masculinidade. Aproveitei dois dias de folga para visitar mamãe, a vida na roça, o mato, os cachorros, os macacos e a vontade de compor alguma música que chame Rock Rural. Antes de sair para o trabalho, mamãe, aquela que é cheia de suas gracinhas, né?, me chama de canto e diz: "Klein, já que você vai ficar em casa hoje, você devia cuidar da sua pele". (Fora de casa não precisa). Enfim: ela fica preocupada com a minha pele (que?) por conta das muitas viagens: diferentes condições de temperatura e pressão que estragam nossas carinhas bonitas, levemente rosadas e, por esta última condição, sem toda a dignidade que mereço depois de tantos anos prestando serviços (que?) ao mundo.

Ela me mostra dois frasquinhos. O primeiro ela explica: "isso aqui ajuda a limpar a sua pele. é bom porque tem grãozinhos de areia". E eu não sei por que é que graozinhos de areia me deixariam de cara limpa. Pensei então que mamãe quisesse que eu fosse à praia, Santos, Guarujá, qualquer coisa a uma hora daqui, e esfregasse muito mesmo a minha cara na areia. Com todo a merda e mijo dos cachorros leprosos e desgraçados da agonia da vida urbana no litoral. Depois, orgulhoso do visual à milanesa eu poderia levantar e dizer com orgulho "de cara limpa!".

O segundo frasco ela pega, mostra, fala isso, aquilo e eu não assimilo absolutamente nada porque porque já estou rindo internamente. "Do que você ta rindo?". Eu? De nada! Mamãe, você tem sempre razão quando a gente sai de casa e você usa isto para ocasionalmente bancar a velha jogada no asilo e eu efetivamente me sinto assim naquela típica relação de culpa implicita entre filhos e suas mães. Aí ela resolve sintetizar os dois frascos de orientação com a típica poesia materna:

"Sabe, filho, a pele da gente é como uma flor: se a gente adubar e cuidar direitinho, ela cresce bonita*"

Minhas suspeitas estão confirmadas: mamãe quer mesmo que eu esfregue minha cara em areia e merda.


* - Lila, ela deve ter lido isto na flâmula. Aquela que você me deu de presente!


Escrito por Klein às 12h49 [ ] [ envie esta mensagem ]



E eu ando com essa sensação de que o mundo é infinito de possibilidades. Mas no fundo todas as coisas tem uma mesma raiz, o que faz o infinito não ser tão infinito assim. Como pedais de guitarra: de todas as cores, todos os materiais, todas as marcas e todas as promessas de um som único. Mas, no fundo, os tipos de efeitos são só alguns. Cada um com alguma peculiaridade, mas o efeito é o mesmo, e no fundo um ta copiando o outro descaradamente. Tem overdrive e tem distorcion, eu escolhi overdrive pra mim. Aí pode ser o TS9, pode ser o OD-1 ou qualquer um destes nomes canastrões para coisas muito parecidas. Enfim, a maioria de vocês não toca guitarra e não entende muito bem a diferença, to ficando um daqueles caras chatos que falam de coisas que só eles entendem com pessoas que não estão interessadas por aquilo. Todos os dias eu ensaio mentalmente maneiras de explicar para meu pai que automação industrial não é algo de meu interesse. Mas é o meu velho, etc. Eu não sou o seu velho, então não vou fazer isso com você aí. Só o caso é que eu não sei mais se existe tanta coisa nova no mundo. Ou pelo menos não a sensação de novidade. Aquela que os executivos chamam de quebrar um paradigma. Mas eles não sabem que é isto que estão dizendo quando falam sobre quebrar paradigmas: para eles pintar a planilha de vermelho ao invés de azul já é quebrar um paradigma, mas vermelho é tão velho e conhecido quanto o azul. Enfim, vocês já entenderam o que eu estou querendo dizer com este post.


Escrito por Klein às 21h37 [ ] [ envie esta mensagem ]



Acho realmente engraçado quando alguém fala que Deus o salvou de fazer alguma burrada. Tipo "foi Deus quem me fez não puxar aquele gatilho", "foi Deus quem me ajudou a encontrar o dinheiro" ou "foi Deus quem não me deixou abrir a Playboy da Hortência". Porque eu fico pensando em onde caralhos teria ido parar, então, aquele tal de livre arbítrio.


Escrito por Klein às 21h25 [ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]




Olá, eu sou o Klein e fisicamente pareço um príncipe germânico. Blá blá blá. Todo mundo já está de saco cheio deste papo de príncipe germânico, vamos ser honestos, mas é a piada besta que acompanha este blog desde que eu o tenho e é sempre disto que todo mundo lembra. Mas na verdade esse negócio de príncipe é papo pra bundão. O único príncipe brasileiro respeitável foi, a meu ver, o Ronnie Von. Que não parece muito germânico. E também não se parece muito comigo. De qualquer forma, hoje ele apresenta um programa para donas de casa que ocupam suas tardes fazendo pirulitos de chocolate para vender na vizinhança.

Não está nos meus planos apresentar um programa de auditório para donas de casa. Nem estou renegando uma eventual realeza: só estou explicando que esta coisa de príncipe germânico não é necessariamente boa, mas eu não ousaria fazer um perfil no meu blog que não citasse esta piadinha besta tão tradicional por aqui. Mas acho que ultimamente estou mais para o outro cabeludo que vai aparecer na sua rua do que para príncipe germânico.

De qualquer forma, sejam bem vindos ao meu blog. Se você é o tipo de pessoa que gosta de ler qualquer tralha por aí, então deu certo porque eu escrevo textos no estilo qualquer tralha. Se você é o tipo de pessoa que apresenta programas de auditório para donas de casa ou o tipo de pessoa que vende pirulitos de chocolate para os vizinhos, saiba que não é nada pessoal. Por fim, se você for o Ronnie Von, o Eduardo Araújo ou um dos irmãos da família Carlos, oh, quanta honra vocês por aqui!

3 Minutos
About Winners Who Haven´t...
A Feminista
Agádoisesseóquatro

Annix

As Filhas do Dono

Beijo me Liga
Calma Que Fica Pior
Carta Pública
Celta's Dark Spot
Certas Coisas Só Acontecem...
Chá Verde Com Limão
Chuteira e Minissaia
Como faz?
Confissões de Uma Mente...
Cynthia Semíramis
Drosófila Basófila
Evão do Caminhão
Filigranas
Flocgel
I Misbehave
Joanices
Life Would Be So Wonderful...
Lost in The Library
Magnólia
Marina W
Momento Descontrol
Morfina
Mosca na Sopa
Nada Profissional
Nerd-O-Rama
No Sleep
O Biscoito Fino e a Massa
Qual é a música?
Pausa Para o Cigarro
Remi Malcoeur
Tantos Clichês
Technicolor Kitchen
Terra da Garo(t)a
Uh Baby!!!
Uma Dama Não Comenta
Uma moça de fino trato
Vida de recém casada
Vida e Obra de Daniell Rezende
Vivo Andando
Working Class Anti-Hero

20/12/2009 a 26/12/2009
29/11/2009 a 05/12/2009
15/11/2009 a 21/11/2009
04/10/2009 a 10/10/2009
13/09/2009 a 19/09/2009
23/08/2009 a 29/08/2009
09/08/2009 a 15/08/2009
02/08/2009 a 08/08/2009
12/07/2009 a 18/07/2009
05/07/2009 a 11/07/2009
28/06/2009 a 04/07/2009
21/06/2009 a 27/06/2009
31/05/2009 a 06/06/2009
17/05/2009 a 23/05/2009
03/05/2009 a 09/05/2009
26/04/2009 a 02/05/2009
12/04/2009 a 18/04/2009
05/04/2009 a 11/04/2009
15/03/2009 a 21/03/2009
08/03/2009 a 14/03/2009
01/03/2009 a 07/03/2009
22/02/2009 a 28/02/2009
15/02/2009 a 21/02/2009
08/02/2009 a 14/02/2009
01/02/2009 a 07/02/2009
18/01/2009 a 24/01/2009
11/01/2009 a 17/01/2009
04/01/2009 a 10/01/2009
28/12/2008 a 03/01/2009
21/12/2008 a 27/12/2008
14/12/2008 a 20/12/2008
30/11/2008 a 06/12/2008
23/11/2008 a 29/11/2008
16/11/2008 a 22/11/2008
09/11/2008 a 15/11/2008
02/11/2008 a 08/11/2008
26/10/2008 a 01/11/2008
19/10/2008 a 25/10/2008
12/10/2008 a 18/10/2008
05/10/2008 a 11/10/2008
28/09/2008 a 04/10/2008
21/09/2008 a 27/09/2008
14/09/2008 a 20/09/2008
07/09/2008 a 13/09/2008
31/08/2008 a 06/09/2008
24/08/2008 a 30/08/2008
17/08/2008 a 23/08/2008
10/08/2008 a 16/08/2008
03/08/2008 a 09/08/2008
27/07/2008 a 02/08/2008
20/07/2008 a 26/07/2008
13/07/2008 a 19/07/2008
06/07/2008 a 12/07/2008
29/06/2008 a 05/07/2008
22/06/2008 a 28/06/2008
15/06/2008 a 21/06/2008
08/06/2008 a 14/06/2008
01/06/2008 a 07/06/2008
25/05/2008 a 31/05/2008


Não diga alô, diga:
"Eu sou fã do SBT"!

XML/RSS Feed

Site Meter